Todo Dia

Diarreia pós-Covid: como o probiótico pode ajudar?

Pacientes que tiveram a doença Covid-19, causada pelo vírus SARS-CoV-2, costumam relatar os mais diferentes sintomas, como perda de paladar e olfato, dor de garganta, falta de ar, cansaço, dor de cabeça, entre outros. Porém, uma dessas consequências tem chamado a atenção do meio científico, graças à sua relação com a infecção viral: a diarreia.

De acordo com a médica gastroenterologista pela Federação Brasileira de Gastroenterologia, Dra. Vera Lúcia Ângelo Andrade, a diarreia é uma das manifestações clínicas do Covid-19 que pode surgir isoladamente em apenas 4% dos pacientes com a doença, sem que eles sintam ou relatem quaisquer outros sintomas, como os do sistema respiratório. 

“A diarreia, de um modo geral, é um sintoma que costuma se resolver em até 14 dias. Quando ela ocorre nesse período, é o que os médicos consideram como uma diarreia aguda. Agora, caso ela persista após mais de 30 dias, pode ser classificada como diarreia crônica”, exemplifica ela. 

Sistema em desequilíbrio

A ocorrência de diarreia pode ser um sinal de que o seu corpo está passando por uma disbiose, ou seja, quando os micro-organismos que são benéficos para o seu intestino são minoria em comparação com os fungos e bactérias causadores de doenças.

E após identificar o quadro de Covid-19, a Dra. Vera Andrade diz que o organismo pode apresentar os sintomas de disbiose. “O que tem se observado em consultórios é que a enfermidade causada pelo novo coronavírus altera a imunidade e o equilíbrio das bactérias do intestino, permitindo com que elas sejam responsáveis por se proliferarem pelo intestino, e consequentemente, causem a diarreia”, conta.

A gastroenterologista pontua ainda que ao comparar pacientes que tiveram Covid-19 sem diarreia e que, depois da recuperação, apresentaram sintomas semelhantes, foi possível constatar o desequilíbrio de bactérias intestinais. Por isso, nesses casos pode ser necessário entrar com o uso de antibióticos e probióticos.

De acordo com a Dra. Vera Andrade, dependendo do caso, ao combinarmos um ou dois tipos de antibióticos a um probiótico, podemos obter benefícios na melhora da diarreia”, destaca.

Porém, a gastroenterologista ressalta que o tempo de uso do probiótico ainda não está definido na literatura, mas cita que empiricamente, utiliza-se o suplemento em torno de 15 a 30 dias.

 

Referências bibliográficas:

Vera Lúcia Ângelo Andrade: possui graduação em Medicina pela UFMG em 1989 • Residência em Clínica Médica/Patologia Clínica pelo Hospital Sarah Kubistchek • Gastroenterologista pela Federação Brasileira de Gastroenterologia • Especialista em Doenças Funcionais e Manometria pelo Hospital Israelita Albert Einstein • Mestre e Doutora em Patologia pela UFMG • Responsável pelo Setor de Motilidade da Clínica SEDIG BH desde 1995 • http://lattes.cnpq.br/0589625731703512

Capurso L. Thirty Years of Lactobacillus rhamnosus GG. J Clin Gastroenterol., 2019. 

https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30741841/