Todo Dia

Uso de probióticos pode evitar os sintomas de diarreia.

Entenda como a saúde do intestino pode ser beneficiada com suplementação probiótica.

O verão é a estação dos dias ensolarados, das praias e das férias em família. Por esse motivo, o número de viagens aumenta e, com elas, o risco de doenças como a diarreia também cresce. Isso porque os viajantes acabam mudando de ambiente e passam a consumir alimentos que não fazem parte de seu dia a dia.

Segundo o pediatra Marcello Pedreira, a diarreia é um dos problemas que mais incomodam as pessoas que viajam para lugares diferentes daquele onde vivem. “A falta de higiene no preparo das refeições certamente aumenta os riscos de uma infecção intestinal e muda o comportamento das bactérias normalmente presentes no trato gastrointestinal”, salienta. 

E a consequência disso é um importante desconforto já nos primeiros dias da viagem, com queixas de dor, gases, vômitos e diarreia. Outro fator também a ser levado em consideração é o estresse e a ansiedade que uma viagem pode acarretar. Isso porque são fatores que podem interferir no comportamento da microbiota intestinal e levar a quadros de diarreia.

Juventude em alerta

De acordo com o pediatra, a faixa etária em que a doença incide mais frequentemente é entre adolescentes e jovens adultos, de 15 a 30 anos. Mas ele ressalta que a diarreia varia muito de acordo com o histórico de infecções e a composição das bactérias do intestino de cada pessoa. 

“As microbiotas intestinais variam muito entre as famílias e os locais do mundo. E talvez o melhor conselho seja procurar manter a higiene em todos os momentos de uma viagem, principalmente na hora de se alimentar”. 

Como sugestão, Pedreira recomenda conhecer os lugares onde vai comer, lavar as mãos, não beber água ou leite de fontes não conhecidas e evitar alimentos crus, mal cozidos ou mal conservados.

O papel dos probióticos

Quando o assunto é saúde da microbiota intestinal, outro ponto interessante a se considerar é o uso de probióticos ao se deparar com uma situação adversa desse tipo durante uma viagem ou mesmo antes dela, caso já demonstre algum sinal de desbalanço da microbiota.

“Os probióticos são suplementos alimentares capazes de manter um equilíbrio saudável entre as bactérias e outros pequenos organismos normalmente presentes no intestino”, explica o pediatra. 

Ele conta que existem dois grupos de bactérias em nosso trato gastrointestinal: aquelas com um efeito benéfico que evitam infecções, estimulam a imunidade e mantém um bom processo de digestão; e aquelas com um potencial de causar doenças caso não sejam controladas pelo primeiro grupo. 

“Portanto, em situações de diarreia, onde certamente ocorreu um desequilíbrio entre esses dois grupos, o uso de um probiótico específico para restabelecer esse equilíbrio pode fazer sentido. Devemos lembrar, contudo, que nem todo probiótico tem o mesmo efeito, devendo sempre buscar um com ação mais específica contra o problema que se quer combater”, pondera.

Por isso, é preciso saber quais probióticos podem ser aliados no combate a esse tipo de doença. Um estudo publicado pelo periódico World Journal of Gastroenterology aponta que terapias com altas doses de probióticos com a cepa Lactobacillus rhamnosus GG, por exemplo, é capaz de reduzir a duração da diarreia e o número de fezes diárias.

Com uma microbiota saudável e uma ingestão de líquidos adequada, o paciente pode compensar tais perdas por conta da diarreia, evitando ter de passar por um hospital ou pronto-socorro quando o caso se agravar.

Referências:

Ya-Ting L. et al. Efficacy of Lactobacillus rhamnosus GG in treatment of acute pediatric diarrhea: A systematic review with meta-analysis. World J Gastroenterol. 2019.

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6737314/#:~:text=Diarrhea%20is%20a%20major%20infectious,beneficial%20effect%20of%20LGG%20treatment.