Buscar
Cultive Seu Melhor

Diarreia aguda: saiba quais as causas e como tratar

Diarreia aguda: saiba quais as causas e como tratar

É bem possível que você já tenha enfrentado ou venha a ter uma diarreia aguda ao longo da vida. Isso por que ela pode ser causada pela simples ingestão de um alimento contaminado por microrganismos nocivos à saúde, como bactérias e vírus, gerando um quadro infeccioso no sistema gastrointestinal. Continue a leitura e saiba o que é, as causas e tratamentos desse problema gastrointestinal.

O que é diarreia aguda e qual a diferença da diarreia crônica?

A diarreia é considerada aguda quando o número de evacuações aumenta consideravelmente em 24 horas. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de três vezes durante um dia pode ser o suficiente para decretar esse diagnóstico. Além da frequência, a consistência das fezes muda, passando de um estado quase sólido ou pastoso para líquido. Em geral, esse quadro dura até 14 dias, retornando à frequência comum de evacuações. Durante esse período, outros sintomas podem surgir, como vômito e até mesmo febre.

Quando a diarreia dura mais do que 14 dias já pode ser considerada crônica. Nesse caso é imprescindível consultar um médico pois o quadro pode se tratar de um sintoma de algum outro problema gastrointestinal, como a intolerância ao glúten ou à lactose, ou alguma doença inflamatória intestinal. Dessa forma, a evacuação insistente só deve diminuir a partir do diagnóstico e tratamento corretos.

Quais as causas da diarreia aguda?

Geralmente, é o contato com microrganismos capazes de provocar infecções que causa a diarreia aguda. Os vírus são os agentes infecciosos mais incidentes, seguidos por bactérias e parasitas intestinais. O uso de alguns tipos de medicamentos e a intoxicação por determinadas substâncias também são possíveis causas. Assim, a diarreia aguda pode ser desencadeada pelos seguintes motivos:

  • Consumo de alimentos contaminados por microrganismos infecciosos;
  • Ingestão de água sem tratamento adequado;
  • Viagem para lugares em que as condições de saneamento e de higiene são precárias;
  • Consumo de leite e derivados in natura (sem ferver ou pasteurizar);
  • Falta de higiene pessoal;
  • Consumo de alimentos crus ou mal cozidos, principalmente carnes e ovos;
  • Ingestão de frutas e hortaliças sem higienização adequada;
  • Uso de medicamentos, como antibióticos e quimioterápicos;
  • Ingestão excessiva de bebidas alcoólicas.

Vale ressaltar que, apesar da ingestão de alimentos contaminados ser a causa mais lembrada por quem sofre o problema, o contato com pessoas infectadas está entre os principais fatores de risco. Principalmente quando o agente causador é um vírus. O Rotavírus, por exemplo, é o maior responsável por quadros de diarreia grave em crianças menores de cinco anos de idade em todo o mundo, especialmente nos países em desenvolvimento. A transmissão pode acontecer por via aérea, além do contato com objetos contaminados.

O que fazer para tratar a diarreia aguda?

Procurar atendimento médico é essencial para o diagnóstico correto da diarreia. Depois, é importante conter a desidratação, uma das consequências mais preocupantes desse quadro clínico.

Com a evacuação constante, há perda excessiva de água e de eletrólitos no sangue – minerais como potássio e sódio, que são essenciais para o equilíbrio interno do corpo. Assim, a recomendação é a reposição desses elementos a partir do conhecido soro caseiro: solução de um litro de água, uma colher de sopa de açúcar e uma colher de café de sal.

Além desta solução, que pode ser administrada aos poucos e durante todo dia, alguns cuidados são recomendados:

  • Reforçar a ingestão de alimentos de fácil absorção pelo organismo como o arroz e a batata inglesa cozidos
  • Consumo de refeições em consistência aquosa: sopas e sucos
  • Evitar alimentos gordurosos, ricos em açúcar, processados, leites e derivados
  • Em alguns casos usar medicamento prescrito pelo médico
  • Nunca deixar de se alimentar ou beber bastante água

Outra recomendação é o uso de probióticos – suplementos que contêm bactérias benéficas para o equilíbrio da flora intestinal. Presentes em certos alimentos e no próprio intestino, esses microrganismos atuam como uma “barreira” na mucosa intestinal, impedindo que bactérias nocivas se proliferem. Assim, o equilíbrio do sistema gastrointestinal é reestabelecido.

Como os probióticos podem ajudar no alívio de episódios de diarreia aguda?

A suplementação de probióticos pode apoiar o tratamento para diarreias causadas por vírus ou bactérias. De acordo com estudos realizados por acadêmicos de universidades americanas, pacientes que utilizaram probióticos reduziram 25 horas dos sintomas na comparação com os que não fizeram o uso.

Vale ressaltar que existem diversos tipos de probióticos e entre os mais estudados e eficazes, tanto para crianças como adultos, está o Lactobacillus rhamnosus GG(LGG). A suplementação a partir dessa variedade ajuda a reestabelecer a colônia de bactérias benéficas ao organismo, reduzindo os sintomas da diarreia mais rapidamente.

Por isso, pode ser recomendado para quando a pessoa desenvolve a “diarreia do viajante”, que se relaciona à mudança de hábitos em decorrência de uma viagem, já que nesse cenário as pessoas acabam se alimentando em locais desconhecidos. Além disso, podem estar em uma região com problemas de saneamento básico, ou seja, condições precárias de higiene.

Outro ponto importante sobre os probióticos é que eles ajudam não só no tratamento, diminuindo a frequência da evacuação e as cólicas intestinais, mas também como método preventivo, uma vez que reestabelecem a presença de micro-organismos fundamentais para o equilíbrio da flora a intestinal.

Referências


Clique aqui e pegue seu
cupom de desconto

Produtos relacionados

Posts relacionados

Política de Cookies

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja nossa Política.

Prosseguir Negar