Buscar
Cultive Seu Melhor

Qual o tratamento para dermatite atópica?

Qual o tratamento para dermatite atópica?

A dermatite atópica é uma doença que causa inflamação na pele, provocando o aparecimento de lesões e crostas. Ela afeta 2,4% da população mundial, sendo a 15ª doença não fatal mais comum. Para evitar o agravamento e a piora da qualidade de vida, é fundamental realizar um tratamento adequado. Continue a leitura e conheça mais sobre a doença, possíveis sinais e sintomas e como ela pode ser tratada.

O que é a dermatite atópica?

A dermatite atópica é uma doença crônica, de causas genéticas, que provoca inflamação na pele, levando ao aparecimento de feridas e erupções que apresentam crostas. O surgimento dessas feridas é mais comum nas mãos, dobras dos braços e da parte de trás dos joelhos. A dermatite atópica pode também vir acompanhada de asma ou rinite alérgica.

Embora ainda não exista uma cura para a doença, os tratamentos e as medidas de autocuidado podem melhorar as feridas, reduzir as dores e coceiras e a prevenir novos surtos da doença, aumentando a qualidade de vida da pessoa.

Como saber se tenho dermatite atópica?

As manifestações da dermatite atópica na pele deixam bem claro que existe algum problema. Veja sinais e sintomas que ela pode provocar:

  • Pele seca, rachada, escamosa sensível e que incha ao coçar;
  • Coceira intensa, principalmente à noite;
  • Manchas vermelhas e cinzas especialmente na região das mãos, pés, tornozelos, pulsos, pescoço, parte superior do tórax, pálpebras, dentro da dobra dos cotovelos e joelhos. Em bebês, as manchas prevalecem no rosto e couro cabeludo;
  • Feridas pequenas e elevadas, que podem vazar fluido e formar crostas;

A doença também pode interferir no sono, provocar dificuldade de concentração, sangramento na pele, coceira e infecções secundárias. Mas, a gravidade da dermatite atópica pode variar muito de pessoa para pessoa:

  • Em casos mais leves, pode haver apenas áreas pequenas de pele seca e com coceira;
  • Nos casos mais graves, por conta da coceira excessiva, as feridas se tornam abertas e podem ser contaminadas por bactérias, vírus ou fungos, agravando o problema e podendo causar uma inflamação generalizada na pele.

Atenção! existem outros problemas de saúde que também podem afetar a pele e ser confundidos com dermatite atópica. Então, aos primeiros sinais e sintomas, procure um médico. Pois só ele pode fazer o diagnóstico correto e indicar o tratamento mais indicado para o seu caso. E não se automedique por conta própria, isso pode mascarar sintomas tornando mais difícil de se chegar ao diagnóstico correto e até agravar o problema de saúde ou provocar outros.

Quais os tipos de tratamento para dermatite atópica?

  1. Hidratação da pele – é essencial para preservar a integridade da barreira cutânea, que pode ser restaurada com a aplicação de hidratantes, que são a primeira linha de tratamento, sendo recomendados para todas as formas da doença. O uso de hidratantes de forma adequada, conforme indicação médica, reduz as crises agudas e ainda melhora o ressecamento e a coceira intensa. Geralmente, para manter a hidratação da pele ao longo do dia, são necessárias duas aplicações. Os hidratantes são compostos por combinações variáveis de:
  • Emolientes – preenchem os espaços entre as escamas da pele e mantém a hidratação;
  • Umectantes – os umectantes aumentam a hidratação da camada mais externa da pele, preservando sua estrutura;
  • Substâncias oclusivas – formam uma camada protetora sobre a epiderme, que reduz a evaporação da água e impede a penetração de bactérias, vírus e outros agentes que podem causar irritação.

Existem hidratantes desenvolvidos especificamente para a dermatite atópica e esses são os mais indicados, pois contêm substâncias com ação emoliente, princípios ativos e componentes que recuperam a pele. Evite hidratantes que possuem fragrância, conservantes e substâncias sensibilizantes. Você pode encontrar hidratantes em três versões:

  • Loções – possuem alto teor de água, o que permite maior tolerância e evaporação;
  • Cremes – possuem textura mais agradável e são uma emulsão de água em óleo;
  • Pomadas – têm textura mais gordurosa e menos conservantes na formulação, o que proporciona menor irritabilidade, especialmente nas peles que já estão lesadas.
  • Controle das crises de inflamação – é essencial no tratamento da doença. Os tipos de medicamentos mais utilizados para isso são:
  • Corticosteroides – agentes anti-inflamatórios, controlam os principais sintomas da dermatite atópica, como o prurido (coceira intensa) e as lesões com escamação. É preciso estar atento aos efeitos colaterais que podem acontecer e por isso a aplicação só deve ser feita sob prescrição médica.
  • Inibidores da calcineurina – são uma classe de medicamentos utilizados nos surtos para o controle da inflamação. Eles atuam bem em graus leve a grave, proporcionando uma diminuição do número de crises e da necessidade do uso de corticoides. Possuem boa tolerabilidade e poucos efeitos adversos.
  • Medicações anti-inflamatórias – para casos mais graves, o médico pode prescrever corticosteroides orais. São medicamentos eficazes, mas não podem ser usados em longo prazo devido a potenciais efeitos colaterais graves.
  • Infecções bacterianas – se ocorrerem, o médico pode indicar o uso de antibióticos tópicos ou sistêmicos.

O tratamento da dermatite atópica é longo, podendo durar meses ou anos. E, mesmo com um tratamento bem executado, é possível que os sinais e sintomas voltem e você precise iniciá-lo novamente. Seja como for, não deixe de procurar um médico dermatologista se acontecer o seguinte:

  • A condição é tão desconfortável que afeta o sono e as atividades diárias;
  • A pele apresenta sinais de infecção, com pus e crostas amarelas;
  • As manifestações persistem apesar do uso de medicamentos.

O que evitar quando se tem dermatite atópica?

Quem tem a doença precisa redobrar a atenção com os cuidados da pele e entender o que pode fazer sem correr o risco de agravar o problema. Então, veja algumas dicas do que evitar para prevenir o aparecimento e agravamento das feridas:

  • Evite usar roupas apertadas;
  • Evite esfregar o corpo durante o banho ou secar-se com força;
  • Evite se expor às mudanças bruscas de temperatura;
  • Evite atividades físicas que provoquem suor, caso note que isso agrava as lesões;
  • Evitar coçar os locais com feridas;
  • Evite o contato com substâncias irritantes presentes em produtos de limpeza, cosméticos e perfumes. Sempre que possível, opte por produtos hipoalergênicos, que possuem baixo risco de provocar alergias e irritações.

Além disso, é fundamental reforçar a ingestão de água e a hidratação da pele, principalmente quando o tempo estiver mais seco e frio. Esteja atento aos gatilhos que ampliam as crises, como possíveis alimentos, e procure evitá-los. Com o tratamento contínuo e adequado, é possível que pacientes com a dermatite atópica tenham uma boa qualidade de vida e longos períodos sem crise da doença.

Referências



Clique aqui e pegue seu
cupom de desconto

Produtos relacionados

Posts relacionados

Política de Cookies
Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja nossa Política.

Prosseguir Negar
''