Tratamento com antibióticos para as doenças comuns no verão: como funciona

Compartilhe e siga: Facebook Instagram WhatsApp

A estação mais quente do ano está chegando e, com ela, a vontade de fazer programas ao ar livre vem com força. Apesar do bom clima da estação, é importante não descuidar da saúde, já que a época também é propícia para o surgimento de doenças comuns no verão, provocadas por infecções oportunistas – que costumam aparecer com mais frequência justamente nesse período. São elas:

  • Otite de verão (também chamada de otite de nadador);
  • Infecção urinária;
  • Infecções gastrointestinais.

Continue a leitura para entender melhor esses quadros, como tratá-los e se prevenir.

Doenças comuns no verão – otite de verão

Também chamada de otite dos nadadores, a otite de verão é um processo inflamatório e infeccioso que acomete o ouvido externo – canal que faz a ligação entre a orelha e o tímpano – e que pode ser causada por bactérias ou fungos. Esses micro-organismos acabam chegando ao ouvido por meio do contato prolongado com a água, já que, no verão, é comum passar bastante tempo no mar, no rio ou na piscina.

A infecção também pode surgir após pequenos traumas feitos na região, ao coçar o ouvido com as unhas ou objetos; e até na secagem da orelha com a toalha.

Quais os sintomas da otite de verão?

A otite de verão pode acometer tanto adultos como crianças e costuma ter os seguintes sinais e sintomas:

  • Dor intensa;
  • Prurido (coceira intensa);
  • Sensação de ouvido tampado;
  • Secreção de coloração esverdeada.

Como tratar a otite de verão?

A principal forma de tratamento é o uso de antibióticos por via oral e local (diretamente no ouvido). Analgésicos também são recomendados para o manejo da dor. No entanto, qualquer desses tratamentos só deve ser feito com orientação e prescrição de um médico especialista.

Como prevenir a otite de verão?

Algumas medidas ajudam a prevenir a otite de verão. São elas:

  • Evite passar longos períodos dentro da água;
  • Não mergulhe em águas sujas ou de aspecto sujo;
  • Não introduza nenhum tipo de objeto no ouvido para coçar;
  • Evite o uso de hastes flexíveis, pois elas podem machucar o ouvido e facilitar o surgimento das infecções;
  • Após nadar, seque os ouvidos com a ponta da toalha sem esfregar;
  • Pessoas que têm otite de forma recorrente devem procurar usar protetores auriculares ao nadar.

Doenças comuns no verão – infecção urinária

A infecção urinária é um quadro infeccioso provocado por bactérias que entram em qualquer parte do sistema urinário – rins, bexiga, uretra e ureteres. O quadro mais comum, no entanto, é o que afeta a bexiga, também conhecido como cistite. A infecção urinária costuma ser mais comum em mulheres pois elas possuem a uretra mais curta e próxima ao ânus, o que favorece a contaminação por bactérias. No entanto, crianças e homens também podem desenvolver o problema.

Ela é uma doença comum no verão pois é um período em que se passa mais tempo com roupas de banho molhadas, favorecendo o desequilíbrio de bactérias e micro-organismos da região íntima.

Quais os sintomas da infecção urinária?

  • Ardência ao urinar;
  • Ir muitas vezes ao banheiro em intervalos curtos;
  • Sensação de bexiga sempre cheia;
  • Dores no baixo ventre (ou “pé da barriga”).

Quando a infecção se agrava e atinge também os rins, é comum surgirem outros sintomas como febre, calafrios, dores nas costas e apatia.

Como tratar a infecção urinária?

A principal responsável pelas infecções urinárias é a proliferação da bactéria Escherichia coli, que normalmente habita o intestino. Por isso, o tratamento é feito com antibiótico via oral (prescrito pelo médico). Analgésicos podem ser usados para aliviar a dor., conforme orientação de  um médico, que irá fazer o diagnóstico correto do problema.

É fundamental seguir o tratamento com antibióticos até o fim. A infecção urinária não tratada corretamente pode subir para os rins e provocar infecção generalizada, colocando em risco a vida do paciente.

Como prevenir a infecção urinária?

Uma das principais formas de evitar a infecção urinária é manter o trato urinário ativo, já que a saída da urina ajuda a limpar a uretra, evitando que as bactérias subam e se instalem na região. Outras medidas que ajudam a prevenção do problema são:

  • Evite o uso de roupas íntimas sintéticas e prefira peças de algodão;
  • Aumente a ingestão de líquidos no verão para manter o trato urinário ativo;
  • Não segure a urina e vá ao banheiro com frequência;
  • Regularize o ritmo intestinal, já que períodos de constipação podem favorecer o surgimento de infecções;
  • Reforce a higiene íntima com água e sabão após evacuar.

Doenças comuns no verão – infecções gastrointestinais

As altas temperaturas durante a estação mais quente do ano favorecem a proliferação de bactérias, especialmente nos alimentos. Essa é uma das principais causas das infecções gastrointestinais.

Esse quadro agudo ocorre quando ingerimos bactérias por meio de alimentos contaminados, provocando problemas no estômago e principalmente no intestino. A doença faz parte do grupo das doenças transmitidas por alimentos. Bactérias, vírus, fungos e parasitas podem provocar essa doença.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 600 milhões de pessoas se contaminam todos os anos por meio de alimentos; e 420 mil perdem a vida após contrair esse tipo de doença.

Quais os sintomas das infecções gastrointestinais?

As infecções gastrointestinais podem ser provocadas por bactérias como a Salmonella (provocando a salmonelose), Escherichia coli (responsável também pela maioria dos casos de infecção urinária); ou pela toxina de bactérias, como no caso do botulismo e do cólera, doenças graves que podem colocar em risco a vida da pessoa.

No geral, os principais sintomas das infecções gastrointestinais são:

  • Náusea;
  • Dores abdominais;
  • Diarreia aquosa em grande quantidade;
  • Febre;
  • Dores no corpo e na cabeça;
  • Sangue nas fezes, ocasionalmente.

Como tratar as infecções gastrointestinais?

A maioria das infecções gastrointestinais costuma evoluir de forma leve a moderada e regredir espontaneamente em até duas semanas. Os cuidados nesses casos são apenas paliativos:

  • Ingerir líquidos para evitar a desidratação;
  • Fazer refeições leves e sem gordura;
  • Utilizar medicamentos para amenizar as cólicas e os enjoos.

No entanto, em casos graves, o médico especialista pode receitar o uso de antibióticos e a internação do paciente para que ele possa ser acompanhado de forma mais próxima.

Como prevenir as infecções gastrointestinais?

A principal medida para prevenir as infecções gastrointestinais é tomar cuidado com o que comemos. Isso significa, por exemplo, evitar consumir alimentos que estejam mal conservados, sem refrigeração e/ou expostos há muito tempo ao calor –como é bastante comum observarmos ao ir à praia nas altas temporadas, por exemplo. Outras medidas são importantes para ajudar a evitar o problema:

  • Lave bem as mãos com água e sabão antes de preparar alimentos para as refeições;
  • Cozinhe e asse bem carnes (de todos os tipos) e ovos;
  • Lavar bem frutas, folhas e legumes em água corrente e depois mergulhar em solução clorada por 15 minutos;
  • Consumir apenas água potável;
  • Manter os alimentos refrigerados em locais abaixo dos 5°C;
  • Evitar deixar alimentos prontos fora da geladeira por mais de duas horas;
  • Não consumir alimentos com aspecto cru, especialmente carnes e laticínios;
  • Não consumir alimentos que estejam com aspecto estragado ou de origem duvidosa.

Conteúdos relacionados

Referências

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja nossa Política.

OK