Benefícios dos probióticos em bebês, alívio para os pequenos e para as mamães!

Compartilhe e siga: Facebook Instagram WhatsApp

Cólicas

A cólica nos bebês é um fenômeno natural, significa o intestino se adaptando ao processo absolutamente novo de alimentação, que é receber o leite. Melhor quando é leite materno, que tem substâncias que ajudam no amadurecimento do intestino.

O leite materno é um superalimento, completo, com todos os nutrientes, vitaminas, minerais e a água necessários para que o bebê se desenvolva de maneira saudável. A mamãe também produz anticorpos para proteger o neném contra doenças, o que resulta no fortalecimento do seu sistema imunológico.

Mesmo com todos esses benefícios, muitas vezes, os pequenos sofrem de cólicas e gastroenterite aguda. Mas fiquem calmas mamães, pois é possível melhorar estas condições com o uso de probióticos.

“Em uma intensidade maior, a cólica compromete a qualidade de vida da família. Neste cenário, a restauração do microbioma (conjunto de microorganismos que vivem, neste caso, no intestino) pode ser interessante”, afirma a médica alergista e imunologista, Ana Paula Castro. A médica conta que alguns estudos já apontam que os probióticos podem trazer benefícios nessas situações.

Dermatite atópica

A dermatite atópica, também conhecida como eczema atópico, é bastante comum na primeira infância e chega a afetar cerca de 25% das crianças, segundo dados da Sociedade Brasileira de Dermatologia. É uma doença genética e considerada crônica, não contagiosa, com períodos de crise iniciados por desencadeantes externos, uma vez que o sistema imune é hiper-reativo a eles. Para tratar a dermatite em bebês e crianças é importante investigar as causas que estão agindo no estímulo das crises; desde a alimentação, hábitos de autocuidado com a pele e até as questões emocionais.

“O cuidado envolve muitas estratégias, como cuidar da pele e da inflamação. Existem alguns estudos que indicam ser possível tratar a microbiota com probióticos. É algo promissor, mas não deve ser a única medida”,  pontua a médica.

Um estudo feito com 35 bebês, com 5 meses de idade, reforça a expectativa. Após o uso do lactobacilo LGG®, os pequenos apresentaram melhora dos sintomas da dermatite. Uma outra pesquisa revelou que o probiótico reduz a incidência de dermatite nas crianças durante os primeiros dois anos de vida.

Fonte: Dra. Ana Paula Castro, Médica Assistente da Unidade de Alergia e Imunologia do Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Para mais informações sobre os probióticos da marca americana Culturelle, acesse o instagram @culturellebrasil ou o site: https://culturelle.com.br/

Culturelle® e Culturelle Junior™ são marcas registradas da DSM.
LGG® é uma marca registrada da Chr. Hansen A/S.
Reg. MS: 673990004/67
3990003/673990002

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja nossa Política.

OK