Buscar
Cultive Seu Melhor

Virose infantil: quais as principais causas e como evitá-las?

Virose infantil: quais as principais causas e como evitá-las?

Virose é um termo genérico que significa que a pessoa foi infectada por algum tipo de vírus. Nas crianças, os mais comuns são os que afetam os aparelhos respiratório e gastrointestinal. Por isso, os sinais e sintomas mais frequentes de virose infantil são febre, dor de garganta, tosse, coriza, vômito, dor abdominal e falta de apetite. Apesar de ser um problema de saúde relativamente simples de resolver, é importante procurar atendimento médico para evitar o agravamento dos sintomas e descartar outras enfermidades. Além disso é possível evitar a reincidência, como mostraremos ao longo deste artigo.

Quais são as principais causas de virose infantil?

As viroses são causadas por vírus como o adenovírus, rotavírus e norovírus que, ao se instalar no organismo, provocam uma série de danos à saúde. Durante o inverno, a maior parte dos casos da doença se relaciona com os vírus que atingem o aparelho respiratório, enquanto no verão são mais comuns os que se proliferam no sistema gastrointestinal.

Assim, apesar da causa estar sempre relacionada ao contato com um vírus, as viroses podem ser diferentes, já que o agente causador nem sempre será o mesmo. Em um quadro de virose, é possível observar os seguintes tipos de infecção:

  • Amidalite – afeta principalmente a garganta;
  • Faringite – atinge a faringe;
  • Otite – afeta o ouvido;
  • Gastroenterite – atinge o aparelho gastrointestinal.

A incidência de virose costuma ser alta nesta etapa da vida porque o sistema imunológico dos bebês e das crianças ainda está em desenvolvimento. Dessa forma, o organismo tem mais dificuldade em combater o vírus causador da infecção, que pode ser transmitido pelo contato com objetos ou pessoas contaminadas.

O que são vírus e o que são viroses?

Os vírus são organismos microscópicos, revestidos por uma capa de proteína, que precisam se multiplicar para sobreviver, mas não conseguem fazer isso por si sós. Assim, eles penetram nas células de um hospedeiro para conseguir proliferar. Esse processo, geralmente, resulta na morte das células hospedeiras, causando enorme prejuízo à saúde.

Essa característica faz com que os vírus sejam mais resistentes quando comparados às bactérias. Vale ressaltar que, em muitos casos, a virose infantil pode ser uma associação desses dois agentes: vírus e bactérias.

Importante – o termo virose é usado normalmente para um agrupamento de sintomas causados por vírus que, em geral, não provocam problemas graves de saúde. No entanto, a dengue, meningite, aids, gripe e até mesmo a Covid-19 são consideradas viroses, uma vez que todas elas são doenças virais.

Como a virose infantil é transmitida?

Há várias formas de transmissão da virose infantil e as mais comuns são por meio de:

  • Objetos – brinquedos, fraldas, roupas, mamadeira;
  • Alimentos – verduras, frutas e legumes que não foram higienizados da forma correta;
  • Pessoas contaminadas – principalmente que não fizeram a higiene das mãos de forma adequada;
  • Pelo ar – através de gotículas da saliva, espirro e tosse de pessoas contaminadas.

É muito comum que a contaminação aconteça entre as próprias crianças, já que elas têm costume de trocar brinquedos, tocar em objetos diversos e depois colocar as mãos na boca sem que tenham sido higienizadas. No caso dos bebês, acontece quando os seus cuidadores também não tomam as devidas precauções de higiene ao trocar as fraldas, limpar o vômito, a mamadeira e a chupeta.

Quais são os sinais e sintomas de viroses mais frequentes em crianças?

Como as viroses podem ser causadas por diferentes tipos de vírus, os sintomas também são diversos. No entanto, existem alguns que são bastante característicos de infeção viral:

  • Febre;
  • Nariz escorrendo;
  • Dificuldade de respirar porque o nariz está entupido;
  • Olhos lacrimejantes;
  • Dor de garganta;
  • Tosse e espirros;
  • Vômitos;
  • Diarreia;
  • Falta de apetite;
  • Dificuldade para dormir;
  • Sensação de cansaço;
  • Erupções na pele e na mucosa da boca.

Em geral, uma virose inclui mais de um desses sintomas e, por isso, os responsáveis devem estar muito atentos. Ainda mais porque os bebês e as crianças muito pequenas não conseguem comunicar o que estão sentindo ou não sabem fazer isso com clareza. Assim, a falta de apetite, por exemplo, pode não ser “manha”, mas sim um indício de dor de garganta.

Como é o tratamento da virose infantil?

O tratamento da virose infantil será prescrito de acordo com os sinais e sintomas apresentados. Em geral inclui:

  • Medicação;
  • Repouso;
  • Ingestão de muita água;
  • Refeições leves.

Entre os medicamentos mais receitados estão os analgésicos para o controle da dor e os antitérmicos que ajudam a combater a febre. Em determinados casos, o médico também pode receitar um anti-inflamatório. O uso de soro fisiológico para lavar as narinas ajuda a aliviar a sensação de nariz congestionado

O uso de probióticos – bactérias benéficas à saúde – também pode ser recomendado, especialmente para conter cólicas abdominais, diarreia, além de reduzir os incômodos respiratórios e ajudar a fortalecer o sistema imunológico.

Como prevenir a virose infantil? 

Vacinação – as vacinas são a forma mais eficaz de prevenir infecções virais, pois fazem com que o organismo fique preparado para combater esses micro-organismos quando houver contato com eles. Por isso, há um calendário para imunização contra diversas doenças que deve ser seguido à risca durante a infância.

Precauções de higiene – com algumas medidas relativamente simples de higiene é possível diminuir a probabilidade ou até mesmo evitar doenças virais em crianças. Elas incluem:

  • Lavar muito bem as mãos sempre que for tocar nos bebês ou manusear qualquer objeto com o qual eles tenham contato;
  • Higienizar as mamadeiras e chupetas, pois são objetos que entram em contato direto com a boca;
  • Higienizar frutas, legumes e verduras em uma solução de hipoclorito de sódio com água, antes de comer. O hipoclorito de sódio é o princípio ativo da água sanitária, também conhecida como cândida. Para fazer a higienização, é necessário colocar, para cada um litro de água, uma colher de sopa do produto que tenha hipoclorito na concentração de 2% ou 2,5%. Ou então, duas colheres se o hipoclorito estiver na concentração de 1%. Os alimentos devem ficar imersos nesta solução por dez minutos e depois serem enxaguados com água filtrada.

Uso de probióticos – também recomendado para o tratamento de doenças virais, pode contribuir na prevenção da virose infantil. Isso porque:

  • As bactérias presentes em certos probióticos produzem as bacteriocinas, substâncias que contribuem para destruição de micro-organismos indesejáveis;
  • Os probióticos ajudam a fortalecer o sistema imunológica do organismo, uma vez que regulam o funcionamento do intestino, órgão no qual ocorrem importantes reações imunológicas.

Referências



Clique aqui e pegue seu
cupom de desconto

Produtos relacionados

Posts relacionados

Política de Cookies
Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços você concorda com tal monitoramento. Informamos ainda que atualizamos nossa Política de Privacidade. Conheça nosso Portal da Privacidade e veja nossa Política.

Prosseguir Negar
''